3 novas vacinas já são planejadas pela indústria para o próximo ano

Compartilhar artigo

Os principais players do mercado de vacinas estão reunidos nesta quinta-feira (23/06) no V Congresso Nacional de Clínicas de Vacinas, evento que o SindHosp é apoiador institucional. Dentre as pautas do encontro, a indústria detalhou que pelo menos três novas vacinas já estão sendo testadas em laboratórios brasileiros e internacionais.

A informação foi confirmada pela diretora de vacinas da Pfizer, Lucila Moro, durante participação na mesa-redonda sobre as perspectivas do mercado de vacina no Brasil e no mundo.

 Lucila detalhou que entre o atual portfólio vacinal em fase de testes, estão o vírus sincicial (direcionado para casos de infecções respiratórias em bebês), pentavalente (contra doença meningocócica) e ainda um novo lançamento da própria vacina Covid-19.

“Nosso programa é contínuo, por isso nesse momento temos modelos adaptados sendo testados. Estamos avaliando uma série de fatores como vacinas bivalentes que protegem contra o vírus selvagem e contra a Ômicron e ainda, doses maiores, representando assim novas extensões da linha”, explicou Lucila.

Clínicas de vacinas e o novo perfil na pandemia

Outra pauta da mesa-redonda foi a nova configuração das clínicas de vacina, resultado da pandemia do Coronavírus. “Saímos de um perfil comercial para um modelo consultivo, mais especializado, que atende às novas necessidades dos clientes desse segmento”, avaliou Lucila.

A diretora de vacinas da Pfizer afirmou que o setor substituiu o padrão em que os profissionais estavam em campo fazendo promoção para focar em canais específicos de atendimento, que aliado às últimas tecnologias, fortaleceram as comunicações digitais das instituições e possibilitaram o diálogo 24h por dia, em 7 dias da semana com os consumidores.

Para o vice-presidente em Ciência, Tecnologia e Inovação em vacinas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Marco Krieger, uma outra vertente pode alterar ainda mais a maneira como as clínicas se comunicam com o público: a tecnologia.

“Estamos assistindo uma revolução no campo de vacinas, por isso é importante que o Brasil esteja pronto para incorporar esse movimento. Temos que nos preocupar em dominar as plataformas tecnológicas, tanto para sanar os novos problemas de saúde pública como os antigos; e a parceria público-privada é o caminho para conseguir isso”, complementou Krieger.

Artigos Relacionados...

Curta nossa página

Mais recentes

Receba conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

Prometemos nunca enviar spam.

Há 20 anos representamos hospitais, clínicas, laboratórios e outros estabelecimentos do setor privado de Saúde no Estado de São Paulo
plugins premium WordPress
Rolar para cima