Remédio manipulado pode ter causado a morte de oito pessoas

Técnicos de saúde de Minas investigam intoxicação de cápsulas para combater parasitas

A ingestão de um medicamento manipulado pode ter causado a morte de pelo menos oito pessoas em quatro cidades mineiras da região de Teófilo Otoni (446 km de BH).

A última vítima é uma jovem de 22 anos, morta na madrugada de domingo. As outras tinham entre 46 e 87 anos.

A primeira morte ocorreu no dia 20, mas a suspeita apareceu dez dias depois, quando um casal foi internado após ingerir cápsulas de Secnidazol 500 mg produzidas pela farmácia Fórmula Pharma – o casal continua no hospital, sem risco de morrer.

As secretarias estadual e municipal de Saúde suspeitam que todos os oito mortos tenham ingerido o medicamento, que é usado para combater parasitas e deve ser vendido sob prescrição médica.

Outras 11 pessoas também podem ter usado o mesmo lote do remédio, diz a pasta estadual, com base em documentos encontrados na farmácia.

Entre os sintomas de intoxicação medicamentosa estão hipotensão (queda da pressão arterial), braquicardia (batimento cardíaco reduzido), dor no peito e marcas roxas na pele. Amostras do produto estão sendo analisadas, e o resultado deve sair nesta semana.

A secretaria investiga se foi usado anti-hipertensivo na fórmula – diminuindo a pressão de quem a ingeriu – ou se ocorreu contaminação cruzada – por outro medicamento manipulado na mesma data.

No início do mês, foi determinado que a farmácia deixasse de funcionar. Apenas a drogaria que fica no mesmo local poderia operar, vendendo somente remédios industrializados.

Técnicos constataram no sábado, porém, que a medida não vinha sendo cumprida.

Também descobriram que o Secnidazol era vendido sem atestado e encontraram estoques já manipulados – ele só deve ser feito por encomenda, disse o subsecretário de Vigilância e Proteção da Saúde em MG, Carlos Alberto Gomes. O local foi interditado, e a Polícia Civil abriu inquérito.

Caso as suspeitas se confirmem, será aberto procedimento para impedir a farmácia de voltar a funcionar, diz Gomes. O proprietário pode até ser preso, segundo a Vigilância.

Responsáveis por farmácia não são localizados

A reportagem não conseguiu falar com representantes da Fórmula Pharma, que produziu medicamentos suspeitos de provocar a morte de oito pessoas na região de Teófilo Otoni, em Minas Gerais.

Na farmácia, ninguém atendia ontem os telefonemas -o local foi interditado no sábado passado pelas secretarias estadual e municipal de Saúde.

As pastas não souberam informar contatos dos responsáveis pela Fórmula Pharma nem dizer se eles têm advogado.

A delegacia de Teófilo Otoni, que investiga o caso, também não soube dar essas informações à Folha.

O secretário municipal de Saúde de Teófilo Otoni, Eduardo Tertuliano, disse que a farmácia funcionava “há mais de dez anos”, sem registros de irregularidades nem de ter causado danos à saúde de consumidores.

Fonte: Folha de S. Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois + 7 =

Há 20 anos representamos hospitais, clínicas, laboratórios e outros estabelecimentos do setor privado de Saúde no Estado de São Paulo

SINDICATOS

Rolar para cima