Fisioterapeutas vão brigar por aumento

Em 2102 é a vez dos fisioterapeutas se unirem para tentar melhorar as remunerações pagas pelos planos de saúde em suas sessões de terapia. As mobilizações de profissionais da saúde começaram no ano passado com os médicos, que em muitos casos conseguiram elevar o valor pago pelos planos nas consultas realizadas. Agora, os fisioterapeutas querem chegar ao mesmo objetivo. Algumas operadoras pagam menos de R$ 4 por sessão.

Na média eles pagam R$ 7, R$ 8. Um dos menores valores é R$ 6, depende da categoria de plano, mas alguns pagam menos de R$ 4,60 a exemplo do plano do Estado de Pernambuco, dos servidores, diz a presidente da Comissão de Honorários Médicos do Conselho Regional de Fisioterapia (Crefito), Iaponira Moraes, referindo-se ao Sassepe. O sistema de assistência dos servidores, no entanto, nega a informação. Segundo o Sassepe, o valor mais baixo pago por sessão no Estado é de R$ 5,80. Cada consulta pode variar. Nunca é menos de 30 minutos, diz.

Pacientes que precisam de fisioterapia têm diversas origens de enfermidades. Há o paciente neurológico, principalmente crianças sequeladas, idosos, ou pessoas de idade adulta que precisam se recuperar de traumas físicos, ou doentes respiratórios.

Os planos mudaram de perfil e as empresas e os profissionais, ao invés de brigar se adaptaram. Muitos aumentaram o volume de atendimento, para compensar o valor ínfimo pago. Então acontece muito de haver sessões coletivas como, por exemplo, no tratamento de traumatologias, na qual o fisioterapeuta cuida de 10 pessoas ao mesmo tempo. Isso diminui a qualidade do atendimento. Prejudica o paciente e a nossa classe, observa Iaponira.

O contrário da situação também acontece. Alguns tratamentos, no qual o profissional é obrigado a dar atenção exclusiva ao paciente, em tratamentos respiratórios, por exemplo, muitos profissionais deixaram de atender por planos. Ou seja, o consumidor paga por um pacote de serviços, mas precisa desembolsar por fora para ter um atendimento previsto em contrato. O fisioterapeuta não está apenas nas clínicas. Os hospitais são obrigados a tê-los. Há o fisioterapeuta de UTI, profissional que trata do paciente que faz o desmame da respiração mecânica, por exemplo. Esse tratamento não se faz em menos de duas horas. Isso é considerada uma sessão remunerada em R$ 6, diz.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) diz que não é sua função regular a remuneração de profissionais de saúde. Representantes dos planos foram procurados, mas não responderam aos questionamentos da reportagem. O presidente do Crefito, Silano Barros, diz que a categoria vai brigar por sua própria tabela de pagamentos. Hoje o fisioterapeuta é remunerado de acordo com a tabela dos médicos, que para especialidades de fisiatria está desatualizada. A categoria vai brigar por melhores remunerações ao lado do Fórum da Saúde Suplementar, criado pela Defensoria Pública de Pernambuco. Este fórum é pioneiro no Brasil, diz Silano.

Fonte: Jornal do Commercio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dez + 11 =

Há 20 anos representamos hospitais, clínicas, laboratórios e outros estabelecimentos do setor privado de Saúde no Estado de São Paulo

SINDICATOS

Rolar para cima