Você está no site do SINDHOSP FEHOESP 360 Clique aqui para acessar o portal FEHOESP 360

Notícias

Ministro da Saúde quer gestores no ministério

Ministro da Saúde quer gestores no ministério

08/06/2016
A Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), promoveu, no último dia 4 de junho, um encontro com o ministro da Saúde Ricardo Barros, em Curitiba (PR), com o objetivo de abordar os desafios da saúde no Brasil e colocar a entidade à disposição do ministério. O presidente da FEHOESP e do SINDHOSP, Yussif Ali Mere Jr esteve presente, além de representantes do Conselho de Administração da Anahp, dos hospitais associados da região Sul, e demais entidades representativas do setor.
 
Francisco Balestrin, presidente do Conselho da Anahp apresentou os principais dados da saúde suplementar brasileira, as propostas do Livro Branco Brasil Saúde 2015 – documento produzido pela entidade e entregue aos candidatos à Presidência da República em 2015 com o intuito de contribuir para a construção de um sistema de saúde mais eficiente – e alguns projetos de lei com alto impacto no setor e que merecem uma atenção especial.
 
“A saúde suplementar tem uma representatividade importante, são pelo menos 50 milhões de beneficiários. O Brasil vive um momento delicado e a saúde é um dos setores que mais sofre com a crise política e econômica. Com este encontro, gostaríamos de aproximar o ministro do setor privado de assistência à saúde e dizer que estamos dispostos a contribuir da melhor maneira possível com o sistema de saúde brasileiro”, comentou Balestrin.
 
Todos os participantes do encontro manifestaram-se e colocaram-se à disposição do atual ministro. Temas como: judicialização, informatização, recursos, integração entre os setores, entre outros assuntos foram citados.
 
Ricardo Barros, por sua vez, defendeu a necessidade de informatização da rede assistencial, que será uma prioridade em sua gestão e também enfatizou que pretende trazer gestores para o ministério.
 
O ministro também ponderou sobre o desafio de gerir o ministério da Saúde. “Todo lobby que existe no Ministério da Saúde é para não funcionar. Vamos sofrer uma grande pressão, mas vamos colocar pessoas qualificadas e fazer acontecer”, afirmou.
 
 
Foto: GW Fotografia