Notícias

Coronavírus: Ministério e Secretaria de Saúde destacam que o Brasil está preparado

Coronavírus: Ministério e Secretaria de Saúde destacam que o Brasil está preparado

27/02/2020

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020, autoridades de Saúde estaduais e federais fizeram um panorama sobre o coronavírus no Brasil. Nesse primeiro momento, David Uip, presidente do Centro de Contingência de Coronavírus do Estado de São Paulo foi taxativo: os profissionais de saúde brasileiros estão preparados e estão lidando um tipo de dinâmica conhecida. “Trata-se de uma doença viral que, como tantas outras, vai se manifestar, mas a grande maioria dos infectados será pouco sintomática, outras terão lesões mínimas e um grupo ainda menor necessitará de serviço de terapia intensiva”, garantiu.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o fato de o primeiro caso ter sido confirmado em São Paulo dá um fôlego a mais no combate à doença pelo fato de o Estado ser um dos pais preparados do País. “O momento é de reforçar condutas técnicas, pois nosso sistema de enfrentamento tem funcionado de forma tecnicamente correta e todas as equipes iniciaram trabalho de identificação, mapeamento e testes. Lamentamos que o primeiro caso seja em São Paulo, mas, por outro lado, sabíamos que a cidade e o Estado teriam uma respota mais contundente. Importante ressaltar que as medidas estão sendo tomadas em conjunto por governo federal, estados e municípios, pois é assim que se configura nosso sistema público de saúde”, explicou. 

O ministro informou que a campanha nacional contra a gripe será antecipada em 23 dias para deixar mais pessoas protegidas contra as cepas de influenza que normalmente já circulam, o que vai auxiliar, e muito, os profissionais de saúde e a própria população.  A campanha terá início no dia 23 de março de 2020. “A vacina é um instrumento importante para diminuir a espiral de epidemia desse e de outros vírus que podem ocorrer”, destacou Mandetta. De acordo com o governo do Estado, 85 casos suspeitos estão sendo monitorados e seguindo protocolos comprovadamente eficazes: pessoas com febre e coriza são assistidas e passam por exames durante 14 dias e ficam em repouso em casa. “Não existe formula infalível, mas para doenças desse tipo, em que a contaminação é por gotículas, a permanência em casa já tem eficácia. Hospitalizar qualquer caso não é eficaz para o sistema”, esclareceu o ministro da Saúde.  

De acordo com o secretário Estadual de Saúde, José Henrique Germann, o que deve determinar a ida do paciente suspeito para unidade de saúde não é apenas a suspeita da doença. “O que determina a hospitalização não é a presença do vírus, mas, sim, a condição clínica. O isolamento pode ser feito em casa, com bons resultados”, destacou. 
Em relação a uma expectativa sobre vacina contra o coronavírus, David Uip explicou que há inúmeras iniciativas mundiais, mas que a efetivação de um imunizante ainda deverá levar meses.

Sintomas
Os sintomas do COVID-19 são febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza é preciso observar outros aspectos epidemiológicos, como histórico de viagem em área com circulação do vírus ou mesmo contato próximo a algum caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para a doença. “É imprescindível que, ao apresentar os sintomas as pessoas procurem um serviço de saúde mais próximo, como fez este paciente. A rede de saúde de SP está preparada e alerta. Prova disso é a rápida resposta e diagnóstico feito pelo Einstein e pelo Lutz, neste primeiro caso”, destacou o Secretário Germann.  

O primeiro caso de COVID-19 é de um residente na Capital e esteve, em fevereiro, na Itália. Retornou ao Brasil em 21 de fevereiro e apresentou sintomas suspeitos, como tosse, coriza e febre, compatíveis com a suspeita de COVID-19. Procurou o Hospital Israelita Albert Einstein, que deu a confirmação oficial para a doença na terça-feira (25). 

Seguindo o fluxo oficial definido pelo Ministério da Saúde, o exame foi enviado para contraprova no Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência nacional para análise de amostras casos suspeitos. O homem está em isolamento domiciliar, estável. 

 

Por Eleni Trindade, com informações assessoria Sec. de Estado da Saúde