Santa Marcelina inicia readequação do pronto-socorro

Serão destinados R$ 3 milhões para as reformas e compra de equipamentos. A estratégia prevê ainda recursos para os novos leitos e R$ 300 mil mensais de custeio

O Hospital Santa Marcelina começa a receber neste mês as verbas do Ministério da Saúde para a readequação do pronto-socorro (PS). O convênio para compra de equipamentos jê foi assinado no final de dezembro e o que prevê a reforma das instalações está em análise no Ministério da Saúde. Ambos fazem parte das ações do S.O.S Emergências, estratégia lançada para qualificar a gestão e melhorar o atendimento prestado a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) nessa área.

Com as reformas, os prontos-socorros cirúrgico, clínico e pediátrico ganharão uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com 14 leitos, além de uma UTI especializada ? com sete leitos coronarianos e sete para casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) -, salas de estabilização e de isolamento, e duas enfermarias com um total de 23 leitos para abrigar os pacientes já tratados pelo pronto-socorro, mas que ainda requerem cuidados hospitalares.

Serão destinados R$ 3 milhões para as reformas e compra de equipamentos. A estratégia prevê ainda recursos para os novos leitos e R$ 300 mil mensais de custeio.

?Essas adequações vão melhorar as condições de trabalho, garantindo atendimento mais eficiente e humano aos pacientes?, frisou a irmã Monique Bourget, diretora técnica do hospital.

O S.O.S Emergências aposta ainda em melhorar a gestão do PS com a implantação da classificação de risco, protocolos clínicos e controle do fluxo de pacientes. Esses instrumentos vão garantir o atendimento prioritário aos casos mais graves e possibilitam a padronização de procedimentos a serem adotados por cada profissional, de acordo com o diagnóstico ou o conjunto de sintomas apresentados ao dar entrada na unidade.

Estratégia
O S.O.S Emergências, ação executada em parceria com estados e municípios, criou em cada um dos hospitais um Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar (NAQH), com objetivo de diagnosticar os problemas e implantar soluções.

Em até um ano, o núcleo pretende viabilizar ? numa parceria entre Ministério da Saúde, Estado e/ou Município ? a criação de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) próxima ao Hospital Santa Marcelina, para atender aos casos de menor complexidade.

Mudanças
Com previsão de concluir seu plano de ação neste mês janeiro, o núcleo do Hospital Santa Marcelina já levantou a quantidade de leitos necessários para atender pacientes do pronto-socorro. Com o S.O.S Emergências, esses leitos receberão diárias bem maiores que as atuais. Ao todo, serão qualificados 148 leitos já existentes e instalados 35 leitos novos com recursos federais. Para UTI, serão qualificados 22 leitos e criados outros 28.

O hospital também criará um núcleo interno de regulação para controlar o fluxo de pacientes desde a entrada no PS até sua transferência para outros setores ou até a inclusão deste paciente no programa Melhor em Casa. A regulação permitirá controlar indicadores e aprimorar cada etapa do atendimento.

Fonte: Saúde Web

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

19 − 4 =

Há 20 anos representamos hospitais, clínicas, laboratórios e outros estabelecimentos do setor privado de Saúde no Estado de São Paulo

SINDICATOS

Rolar para cima