Ministério da Saúde fala em aumentar imposto sobre álcool

Medida é citada em novo plano de combate a doenças crônicas

O apoio ao aumento dos impostos sobre bebidas alcoólicas é uma das ações do plano de combate às doenças crônicas não transmissíveis, lançado ontem pelo Ministério da Saúde.

A proposta é focada principalmente em doenças circulatórias, respiratórias crônicas, câncer e diabetes, cujos fatores de risco em comum são tabagismo, álcool, obesidade e sedentarismo.

Incluindo álcool e tabaco como fatores de risco, o plano estabelece como uma das principais ações o “fortalecimento da implementação do aumento de impostos dos produtos derivados do tabaco e álcool, com o objetivo de reduzir o consumo”.

Com o tabaco isso já foi feito. A carga tributária do setor vai crescer de 60% para 81% a partir de dezembro. Com isso, o preço vai aumentar.

Segundo Deborah Malta, coordenadora-geral de doenças e agravos não transmissíveis do ministério, a elevação da taxação sobre bebidas alcoólicas está sendo avaliada pelo ministério, que se baseia em estudos internacionais. Contudo, afirma ela, não há uma definição de quando ou como isso seria feito.

Questionado, o ministro Alexandre Padilha (Saúde) não respondeu se tem planos de apoiar a taxação.

Fonte: Folha de S. Paulo
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezenove + oito =

Há 20 anos representamos hospitais, clínicas, laboratórios e outros estabelecimentos do setor privado de Saúde no Estado de São Paulo

SINDICATOS

Rolar para cima