Diretor da Anvisa defende mais restrições a cigarro

O diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Dirceu Barbano, defendeu mais limitações à propaganda de cigarros nos postos de venda e a restrição ao uso de sabores artificiais no tabaco. Ele falou durante a sabatina no Senado que o reconduziu à direção do órgão, na manhã de ontem. As restrições relacionadas ao tabaco são alvo de consultas públicas na agência.

Barbano abordou outros temas polêmicos, como a proibição dos inibidores de apetite, que deve entrar na pauta da Anvisa nas próximas semanas.

Ele não avançou no resultado da decisão e disse que o órgão tomará “a decisão que gere melhor saúde para quem usa esse tipo de produto”. A recondução ao cargo de diretor do órgão por mais três anos, pedido encaminhado pela Presidência da República, foi aprovada por unanimidade. O Senado também aprovou o nome de Barbano para um novo mandato na Anvisa.

Fumantes ainda se surpreendem ao saber de câncer
A pesquisa “Câncer de Pulmão: A Visão dos Pacientes”, divulgada ontem, indica que a maioria dos doentes fumantes sabe que o cigarro é o principal causador do tumor, mas se surpreende quando é diagnosticada. Encomendada pelo laboratório Pfizer, a pesquisa, com 201 pessoas, revelou que mais de três quartos dos pacientes recebem o diagnóstico com o câncer em estágio avançado.

“O investimento não deve ser em prevenção ou em medicamentos, mas sim em medidas antitabagistas”, afirma o oncologista Artur Katz, que coordenou a pesquisa. Cerca de 84% dos entrevistados sabiam pouco ou nada sobre o câncer de pulmão antes de descobrir que sofriam da doença. Para Katz, políticas de esclarecimento são a chave para reduzir o número de casos. O câncer de pulmão é o mais comum entre os tumores malignos. Estima-se em 30 mil o número de novos casos da doença por ano no Brasil.

Fonte: Folha de S. Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × 4 =

Há 20 anos representamos hospitais, clínicas, laboratórios e outros estabelecimentos do setor privado de Saúde no Estado de São Paulo

SINDICATOS

Rolar para cima