Notícias

Demonstração de resultados: como fazer e interpretar

Demonstração de resultados: como fazer e interpretar

21/06/2018

Dentre os Demonstrativos Contábeis Financeiros, a DRE é o informe mais importante, em função de sua abrangência.

Por se tratar de um Demonstrativo Contábil esse informe deve ser preferencialmente elaborado e estruturado por profissionais da área contábil ou com conhecimentos técnicos suficientes para que as informações possam ser utilizadas com segurança.

Quando utilizamos um sistema de gestão ERP, as informações mesmo que não alimentadas corretamente, acabam sendo registradas ou no Balanço Patrimonial ou na DRE, porém, como grande parte das empresas de Pequeno e Médio porte não utilizam um sistema de Gestão completo e sim sistema com fins especificamente para informações financeiras, fiscais e de estoque, a “montagem da DRE” requer cuidados, para que não nos acostumemos com vícios que não informam a realidade.

Para quem conhece o que vou relatar faz parte do dia a dia, entretanto, na DRE podemos obter informações dos resultados gerados por todas as áreas da empresa, resumidos linha a linha e quando comparados entre meses podemos facilmente identificar se ações definidas estão resultando nas expectativas almejadas, isso desde o faturamento, impostos, custos das vendas, despesas operacionais, entre outras.

Todo esse volume de informações quando bem estruturados, principalmente por centro de custos e se possível também por unidade de negócios, enriquecem ainda mais as informações, podem ser de grande valia aos gestores, e quando os mesmos são conhecedores, decisões podem ser tomadas com facilidade.

Nesse artigo acima relatamos a palavra “vícios”, algumas vezes podemos entender como formas errôneas de compor a informação, diante disso qualquer decisão tomada com base nessa informação, o risco de ser danosa a empresa é grande; é comum ao iniciarmos trabalhos em algumas empresas, que não tem a cultura de utilizar a DRE como ferramenta de gestão ou em outras que a utilizam, ao analisar identificar que o Custo da Vendas são interpretados como as compras realizadas no mês, e isso acaba por distorcer o resultado da empresa, lucro ou prejuízo pode resultar, sem contudo ser esse resultado correto da empresa, e vou mais além, já vi empresas utilizarem como CPV os insumos pagos no mês, o erro vai mais além...

Quando nos deparamos com conceitos distorcidos, geralmente optamos em redefinir a elaboração do demonstrativo para que de forma objetiva e precisa possamos utilizar e realizar o tão esperado diagnostico de forma correta.

É de suma importância que as informações contábeis financeiras de sua empresa sejam colocadas em Check, se elas estiverem coerentes, parabéns, caso contrário, nunca e tarde para corrigi-las e utiliza-las corretamente focando o sucesso empresarial.

Vale Pensar!

 

Walber Almeida Xavier de Sousa - diretor da AXS Consultoria Empresarial, atua na Gestão Empresarial de empresas de pequeno e médio porte, nas áreas de Administração, Finanças e Controladoria. Graduado em Ciências Contábeis, Pós Graduado em Contabilidade Gerencial e Controladoria e com MBA em Gestão Empresarial.

 

 

Fonte: AXS Consultoria