Notícias

FEHOESP debate Fator Acidentário de Prevenção

FEHOESP debate Fator Acidentário de Prevenção

19/06/2018

A FEHOESP promoveu, em 19 de junho, o workshop "Fator Acidentário de Prevenção (FAP) nas empresas", com o objetivo de explicar os cálculos e como é feita a aplicação do fator nas instituições.

"Nós sempre nos preocupamos em manter o segmento informado sobre eventuais mudanças na lei e as alterações legislativas na fórmula de aplicação do FAP, é um dos assunto que merecem destaque em nossos canais. O tema é tão importante que está sempre em pauta em nossos comitês de saúde e segurança ocupacional, laboratórios e clínicas", afirmou o presidente em exercício do SINDHOSP, Luiz Fernando Ferrari Neto, durante a abertura.

Atualmente o Fator pode reduzir em até 50% a alíquota do Seguro contra Acidentes de Trabalho (SAT) para as empresas, mas também pode majorar 100%, como explicou Orion Sávio,  analista técnico de Políticas Sociais da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda. "Os empregadores precisam compreender que a saúde e segurança de um trabalhador é o melhor investimento a ser feito, pois muitas vezes se converte em economia não só para a instituição, como também para o Seguro Nacional".

O FAT, que começou a ser aplicado em 2010, leva em consideração três fatores:

1) Frequência (probabilidade da empresa em gerar um acidente);

2) Gravidade (qual o impacto social no caso de um acidente);

3) Custo (qual o tempo de pagamento do benefício pelo INSS).

Sávio afirmou que o ambiente de trabalho deve ser a maior preocupação dos gestores. "Não é porque se paga o SAT que os empresários devem parar de pensar em como aumentar a seguridade do local de trabalho. Na realidade deve-se atuar para que não ajam eventos adversos. Acidentes custam caro".

 

 

Por Rebeca Salgado