Notícias

Seminário iCos aborda modelo de remuneração e uso de dados

Seminário iCos aborda modelo de remuneração e uso de dados

24/05/2018

O Instituto Coalização Saúde (iCos) realizou o Seminário iCos: Coalizão Saúde Brasil debatendo o uso de dados e modelos de remuneração na saúde pública e privada. Dividido em três painéis, o evento trouxe experiências de mercado de hospitais de ponta e um case holandês de eSaúde.

Segundo Lincoln Moura, diretor da Accenture, espera-se que até 2020 o conceito de saúde digital esteja totalmente incorporado no SUS e na saúde suplementar. "A eSaúde será reconhecida como estratégia de melhoria consistente nos serviços do setor".

O médico e professor da Erasmus School of Health Police, Nick Guldemons, explicou que a conectividade de dados entre pacientes, médicos e gestores traz benefícios para todos. "Quando falamos sobre sistemas de saúde também falamos sobre os modos de fazer essa saúde, todos os seus processos para tornar as complexidades mais fáceis para toda a cadeia".

Falando sobre remuneração baseada em valor, o seminário trouxe a experiência dos hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein, referências em atendimento de excelência. A conclusão dos moderadores é de que o maior problema do Brasil com relação à saúde e os meios de pagamento barra em reducação de custos, desperdício e na dificuldade em se determinar o que realmente é valor para cada gestor.

Sidney Klajner, presidente do Einstein, afirmou que "o grande desafio de uma empresa que quer mudanças no modelo de remuneração e ainda manter a sustentabilidade do setor, precisa trabalhar em ações trarão melhores desfechos ao menor custo". Já Paulo Ibaiashi, diretor de relações com o mercado do Sírio, levantou a falta de acesso como um dos problemas na evolução do setor. "O acesso da população a uma saúde de qualidade deveria ser muito maior. Se há modelos de pagamento vão nos ajudar a ampliar esse acesso, devemos prosseguir com ess discussão".

Rodrigo Aguiar, diretor da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) afirmou que a agência tem feito todo o possível para alinhar estratégias com o setor para aplicar a eSaúde o quanto antes, além de colocar em prática a reformulação dos modelos de remuneração. "Esperamos concluir um relatório de atividades em breve e esse será o documento base para tirar a a discussão da teoria e começar a prática".

 

Por Rebeca Salgado
FOTO: Dule Oliveira