Notícias

Inovação é um trabalho contínuo e de equipe

Inovação é um trabalho contínuo e de equipe

23/05/2018

Aprender a inovar é uma necessidade para os gestores de todas as áreas do conhecimento. Durante a segunda parte do 12° Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos, o IEPAS trouxe especialistas de tecnologia, gestão e novas propostas para discutir essa necessidade e trazer inspirações para os congressistas. 

De acordo com Ingrid Paola Stoeckicht, diretora de inovação e de novos negócios do Instituto para Inovação em Saúde I2H, inovar é resolver problemas. "Inovar não pode se resumir a vender produtos e serviços, mas vender soluções para tarefas que precisam ser realizadas e, pensando assim, qualquer um pode ser nosso concorrente porque vivemos num mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo)" explica. Segundo ela, o propósito da inovação precisa ficar claro. "Inovação não é trilho reto e certinho, mas trilha com várias possibilidades", define.

Além de solucionar problemas, o processo de inovação também tem como objetivo de criar novos negócios, melhorar eficiência, aumentar portfólio de investimento, oxigenar a cultura da organização, desenvolver branding e talentos. É o que explica Thiago Julio, médico cardiologista e curador de healthcare da Cubo Healthcare. "Inovar sempre envolveu riscos, mas hoje o risco traz muitas incertezas", destaca ele. 

Mas é importante salientar que esse caminho incerto pode ser percorrido em equipe, conforme explica Flavia Helena da Silva, gerente de análises clínicas do Grupo Fleury. "Muita gente pensa que inovação acontece em algum lugar mágico escondido dentro da empresa, mas ela é desenvolvida o tempo todo envolvendo todas as equipes, partilhando conteúdo e disseminando ideias", enfatiza. 


Por Eleni Trindade

Fotos: Leandro Godoi 

Galeria de Fotos