Notícias

SINDHOSP e Fleury debatem caminhos para a saúde

SINDHOSP e Fleury debatem caminhos para a saúde

16/04/2018

Com foco na troca de experiências e debate de soluções viáveis para os problemas da saúde, autoridades brasileiras e estrangeiras do setor se reuniram no dia 12 de abril de 2018 no bairro do Jabaquara, em São Paulo, durante o Seminário SINDHOSP Fleury 2018, que teve como tema central “Os impactos dos Recursos Diagnósticos na Assistência à Saúde”.

Estiveram presentes ao evento realizado pelo SINDHOSP e pelo Grupo Fleury representantes de entidades médicas e de classe, além de especialistas em saúde e gestão. “É um prazer estar mais uma vez em um evento que vem em sua 11ª edição em novo formato ao longo de um dia e com caráter internacional para discutir o futuro da saúde e o futuro do país”, afirmou Yussif Ali Mere Jr, presidente da FEHOESP e do SINDHOSP na abertura do evento. “Este ano é especial porque o SINDHOSP completa 80 anos com o desafio de se reinventar graças aos novos tempos e, também, porque o Brasil vive um momento especial que precisa que a sociedade civil tenha responsabilidade ao votar em outubro”, declarou. 

O primeiro tema discutido foi “Inovação e Incorporação Tecnológica em um Mercado em Crise – Perspectiva do regulador”. A apresentação foi feita por Elliot P.Cowan, fundador da empresa Partners in Diagnostics, com passagem de 20 anos pelo FDA (Food and Drugs Administration, equivalente à Anvisa no Brasil), que explicou como são definidas as prioridades para aprovação de produtos nos EUA, a necessidade de o órgão regulador manter uma comunicação constante com todos os seus públicos de interesse os avanços tecnológicos. 

Toda essa tecnologia, além de beneficiar os pacientes, também colabora com a eficiência do sistema. Na palestra “Avanços da Medicina em direção à Sustentabilidade dos Sistemas de Saúde”, Edgar Rizzatti, diretor executivo médico do Grupo Fleury, destacou as macrotendências que têm norteado um grande movimento para agregar valor e reduzir custos no setor da saúde. Os custos e despesas também foram abordados por Luiz Augusto Carneiro, superintendente-executivo do Instituto de Saúde Suplementar (IESS), e discutidos no painel Desafios para a Incorporação Tecnológica, moderado por Yussif Ali Mere Jr que, além das presença do Dr. Cowan, Rizzatti e Carneiro, também teve Arthur Brito da Conitec-Ministério da Saúde, Maria Rachel Jasmim de Aguiar Serafini, gerente de Assistência à Saúde da Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS; Orlando da Costa Ferreira Junior, médico e professor da UFRJ e Carlos Eduardo Gouveia, diretor da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL).

Outro tema fundamental para o setor foi o desperdício de recursos durante o painel “Recursos Diagnósticos: Desperdício ou Subutilização?”, moderado por Wilson Shcolnik, presidente da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (SBPC/ML) com a presença de Rosana Peeling, pesquisadora da London School of Hygiene and Tropical Medicine e diretora da empresa International Diagnostics Center; Lincoln Lopes Ferreira, presidente da Associação Médica Brasileira; Leonardo Batista Paiva, Chefe de Gabinete da Presidência da Anvisa; Solange Beatriz, presidente da Fenasaúde; Claudia Cohn, presidente do conselho da Abramed; Leandro Fonseca, presidente da ANS e Yussif Ali Mere Jr, presidente da FEHOESP.      
 

 

Por Eleni Trindade