Notícias

Sorocaba inaugura nova sede com palestra e coquetel

Sorocaba inaugura nova sede com palestra e coquetel

23/03/2018

Na noite de 21 de março, a regional de Sorocaba do SINDHOSP inaugurou sua nova sede, agora própria. Para celebrar, associados ao Sindicato e convidados participaram de uma palestra, sobre "Fusões, aquisições e a longevidade das empresas", apresentada por José Luiz Bichuetti.

Na abertura, o presidente do SINDHOSP, Yussif Ali Mere Jr, comentou sobre a importância da região para a economia do saúde no Estado, e lembrou que o evento integra as comemorações de 80 anos do Sindicato. "Acreditamos na sustentabilidade dos sindicatos que prestam serviço de qualidade aos seus associados e contribuintes. Por isso defendemos o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical. As entidades fortes, que representam bem a categoria, permanecerão", afirmou.

José Luiz Bichuetti, consultor e executivo com ampla experiência em implantação de programas de governança corporativa em empresas, falou aos empresários sobre o caminho a ser percorrido quando o assunto é evoluir na gestão. "O mérito ou demérito da gestão de uma organização não reside no fato de ela ser familiar ou ter seu controle pulverizado. Reside na forma pela qual ela é governada e dirigida", disse. 

No entanto, ele apontou um estudo do Banco Mundial, que mostra que apenas 15% das empresas familiares conseguem sobreviver à 3ª geração. Entre as causas, estão a liderança sem competência, a falta de critérios para participação de familiares nos negócios, a improvisação no processo sucessório, o nepotismo, as condutas inadequadas por parte de sócios e descendentes e a falta de interesse e de preparação das gerações futuras.

Para sobreviver a estes e outros desafios, Bichuetti recomenda a implantação da governança corporativa. "A adoção de boas práticas de governança corporativa e de gestão se tornam cada vez mais fundamentais nos processos de negociação de fusões, aquisições ou outros tipos de alianças". São quatro os princípios da governança: transparência, equidade, prestação de contas, responsabilidade corporativa. Segundo ele, qualquer empresa pode se adequar ao processo, seja ela de grande, médio ou pequeno porte.

O interesse de investidores locais e estrangeiros pelo setor de saúde brasileiro deve movimentar de R$ 5 a 7 bilhões nos próximos 3 anos. Esse aquecimento, argumentou Bichuetti, vem desde 2015, quando passou a ser permitido a investidores estrangeiros a participação societária em hospitais e clínicas. 

A palestra foi seguida de um coquetel para os convidados. 

Estiveram presentes ainda o vice-presidente do SINDHOSP, Luiz Fernando Ferrari Neto; o diretor tesoureiro, Ricardo Nascimento Teixeira Mendes; o CEO, Marcelo Gratão e o presidente do Instituto de Ensino e Pesquisa na Área da Saúde (IEPAS), José Carlos Barbério.

Galeria de Fotos