Notícias

Tecnologia aliada ao cuidado é tendência para hospitais do futuro

Tecnologia aliada ao cuidado é tendência para hospitais do futuro

04/12/2017

Tendências para manter hospitais prosperando, realizando um atendimento de qualidade e evoluindo foram alguns dos temas discutidos por especialistas e executivos durante o 5º Conahp (Congresso Nacional de Hospitais Privados), realizado pela Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp). 

O tema deste ano foi “Hospitais do futuro – O futuro dos hospitais”. “Poucas atividades dependem tanto de planejamento e discussões sérias sobre o futuro do que a saúde, setor que representa 9,5% do PIB brasileiro”, afirmou Francisco Balestrin, presidente do conselho da entidade. O evento foi realizado entre os dias 22 e 24 de novembro em São Paulo. 

O presidente da FEHOESP e do SINDHOSP, Yussif Ali Mere Jr, participou da abertura do evento que contou, ainda, com a presença do vice-presidente do sindicato e diretor da federação, Luiz Fernando Ferrari Neto; do presidente do IEPAS, José Carlos Barbério; e do CEO das entidades, Marcelo Gratão. 

Pablo Borrás, sênior associate do IESE Business School, trouxe em sua palestra a compilação de tendências levantadas após uma pesquisa feita em hospitais em todo o mundo durante o período de um ano. Entre elas estão: aumento da demanda de serviços de saúde, realizar mais com menos recursos e estruturas menores e mais complexas, maior especialização e maior escopo de serviços em hospitais, passar a ser cada vez mais centros de inovação em tecnologia e serviços e compartilhamento cada vez mais de riscos com stakeholders. “Temos que olhar o futuro como um presente melhorado, mas preparados para qualquer futuro que vier”, afirmou. Segundo ele, as tendências levantadas vão ser aplicadas a diferentes tipos de hospitais e suas respectivas especialidades ou relevância nos locais. 

Ao mesmo tempo em que a tecnologia pontuou vários debates durante o evento, o cuidado com o paciente também teve papel destaque nas discussões sobre o futuro dos hospitais. Durante talk show sobre o papel da equipe assistencial para atender o cliente, que também é paciente, ficou claro que cada vez mais o hospital deverá se preocupar com a entrega do cuidado com qualidade, segurança e desfecho satisfatório, sem deixar de lado, porém, a integração da relação do paciente com a tecnologia, que existe justamente para buscar a qualidade esperada, pois ela ajuda a atingir esses objetivos. “O propósito da instituição no mais alto nível hierárquico, assim como toda a sua cultura, deve se mover no sentido de integrar tudo o que há de mais novo para prover um ambiente assistencial e fazer inclusão digital”, afirmou Wania Baia, diretora assistencial do Hospital Sírio Libanês.   

 

 

Por Eleni Trindade
Foto: Leandro Godoi